Divulgando autores nacionais

março 16, 2018


Olá leitores!
Semana passada eu fiz um post no Facebook indicando algumas autoras nacionais que conheço, em parte por causa do Dia Internacional das Mulheres e em parte porque acho que a literatura nacional precisa ser mais valorizada e propagada. 

Acabou que o post rendeu novas indicações de outras autoras que, até então, eu não conhecia. Então, por meio desse post, venho indicar para vocês mais autores nacionais que vale a pena conhecer!

Glau Kemp




Escritora de terror e suspense que não tem medo do escuro, mas às vezes fecha os olhos quando vai ao banheiro de madrugada. Colunista nos site Boca do inferno e editora da revista Amazing. Gosta de se aventurar em outros gêneros e tem um lado "fofo" pouco conhecido. Autora de "Quando o mal tem um nome" um thriller sobrenatural ambientado na cidade de Aparecida-SP.


Quando o mal tem um nome

“Sinto medo. O tipo de medo que persegue até a presença de outras pessoas. Segue até a luz e entra nas cobertas. Não está debaixo da cama ou dentro armário. Está em minha pele e tem um nome. Não pergunte. Não descubra. Nunca saiba o nome do seu medo, ou irá chamá-lo... Seus lábios podem estar selados, mas sua mente repetirá: Donavan... Donavan... Donavan.”

Na Aparecida dos anos 70, uma cidade erguida no centro de um milagre, conhecemos a história de Marta e sua filha Clara. De sua terra cultivada por fé a malignidade cresce no coração de uma mãe devota. As orações que a padroeira não atende são feitas agora para eles: anjos caídos. Ela não deveria saber o nome do demônio que atendeu sua prece, e a abominação despertada é tão grande que todos vão pagar pelo seu pecado. O mal só precisava que alguém o chamasse pelo nome e agora está entre nós.

Lari Azevedo



Larissa Azevedo, ou apenas Lari, nasceu em 1988, na cidade de São Paulo, onde ainda reside. Desde pequena é apaixonada por arte, cores e literatura. É formada em Design Digital, escreveu em co-autoria os livros da Série Minha Vida e uma Fantasia Celta "Felicidade Invisivel". Além disso, é blogueira do Burn Book e do Lari Azevedo. Como fuga, lê todos os livros que pode, escreve e brinca com suas gatas nas horas livres.

Minha Vida dava um Livro

Ei, aqui! Isso mesmo, estou falando com você. Você que anda pela livraria e muitas vezes perde a noção do tempo. Você, que distraidamente passa os olhos por pilhas de livros e lombadas coloridas e sempre compra mais edições do que pode ler no espaço de uma vida. Você, que agora parou para analisar esta capa entre tantas outras. Este livro é para você. A vida muitas vezes é tão maluca que chegamos a nos questionar se o que vivemos é realidade ou ficção. Experimentamos momentos e construímos enredos com tanta frequência que não surpreende pensarmos que nossa vida dava um livro. E dava mesmo! Que tal, então, escrevê-lo aqui? Se você é louco por livros tanto quanto nós, se perde o ponto e dorme tarde porque simplesmente não consegue deixar de terminar pelo menos mais um capítulo ou se já não sabe mais quantos livros leu e quantas vezes teve a vida salva por uma história, aqui estão as páginas que o aceitam e compreendem. Transforme seus sonhos, citações, lembranças e, principalmente, palavras na narrativa mais empolgante e emocionante que existe: a sua vida! E, claro, não se esqueça de compartilhar. Acompanhe a #SerieMinhaVida e divida conosco sua história. Sua vida dava um livro, é só virar a primeira página. Comece. Porque comprar 
- Guilherme Cepeda e Larissa Azevedo são os criadores da página Burn Book, que tem mais de 70 mil seguidores nas redes sociais. 
- Minha vida dava um livro é voltado para o mesmo público de Destrua este diário, 1 página de cada vez, porém, com uma abordagem muito mais literária. 
- Livros consumíveis para o público jovem e adulto estão em alta no mercado; frequentemente presentes nas listas de mais vendidos de não ficção. 
- Obra presenteável.


Aimee Oliveira


Aimée significa amada em francês, fora isso de francesa não tem nada. Formada em Moda sem ser fashion, roteirista em formação e sempre atenta a reprises na televisão.
Teve seu primeiro romance, “Pela Janela Indiscreta”, publicado em 2014, ganhou o prêmio Wattys com o livro “Invisível” em 2015, participou das coletâneas “Amores Improváveis – no colégio” em 2016 e “Mundos Paralelos”, lançada pela Editora Abril em 2017.
Em 2018 espera escrever um best-seller e ler vários outros.

Pela Janela Indiscreta

"Deus abençoe Nova York e seus apartamentos justapostos! É graças a eles que Frederick se diverte tanto nas noites que passa em casa, espiando sua vizinha. Não que esse seja seu único passatempo – morando numa cidade como essa, suas opções são quase infinitas: bares, restaurantes, mulheres...
Principalmente mulheres! Diversas delas. Mas sempre que a farra termina, ele volta pra casa e lá está sua vizinha, na janela ao lado.
Tudo parece mudar quando ele e a tal vizinha se encontram na rua. E Frederick, conhecido por sua facilidade em lidar com qualquer mulher, encontra-se, desta vez, em grandes dificuldades. Louise, ao contrário do que ele imaginava, não é só aquela garota da janela, mas também alguém que espalha dúvidas por onde quer que passa.
Será possível que duas pessoas tão diferentes podem se encontrar numa cidade tão grande?"

Layla Casanova

Layla Casanova é o pseudônimo de uma geminiana apaixonada por romances médicos e drama, que encontra inspiração em Shonda Rhimes e velhos episódios de ER - Plantão Médico, enquanto passa os dias desejando ter um McName próprio e um pager. Quando não está escrevendo, pode ser encontrada atualizando suas séries, chorando a morte de personagens fictícios, lendo ou chamando a cardio.

A Segunda Chance de Zoe

Depois de um período fora do país, Zoe finalmente sabe que rumo dar a sua vida. Deixando para trás carreira, cidade e um antigo amor, Zoe muda-se para San Francisco e começa sua residência em medicina de emergência.
Recém-chegada ao Hospital Geral Mercy Bay, a ideia era focar na sua carreira, mas quando ela esbarra no bombeiro mais quente da cidade no Pronto Socorro, tudo muda. Adam é bonito, engraçado e empenhado em salvar as pessoas, e Zoe percebe que não vai conseguir ficar longe dele desde o seu primeiro encontro. O problema é que as complicações de um relacionamento não estavam nos seus planos.
Zoe acabou de descobrir o poder das segundas chances ao mudar de emprego, mas será que Adam conseguirá lhe mostrar o poder de uma segunda chance para o amor também?


Graciele Ruiz



Graciele Ruiz nasceu em 1991, em Campinas/ SP. Sempre foi apaixonada por livros e bibliotecas. Criadora de mundos utópicos e sonhadora é autora da Saga de Datahriun e diversos contos. Publicou seu primeiro livro aos 22 anos e sempre passa uma mensagem nova em suas histórias. Também é formada em Ciências Econômicas e pós-graduada em Gestão, Empreendedorismo e Marketing pela PUC. Atualmente vive uma aventura em São Paulo, enquanto se divide entre escrever e atuar no mercado financeiro.

Senhor da Luz

Lícia se sentiu muito sozinha quando o seu avô morreu, deixando uma chave e um pedido. Essa chave abria uma caixa muito poderosa, capaz de fazer viver, novamente, um planeta já morto: Datahriun. Porém, ela só poderia ser aberta por cinco chaves. A de seu avô era apenas uma delas, e o seu pedido era para que Lícia as reunisse e encontrasse os seus guardiões. Desse modo, eles poderiam fazer o que ninguém havia feito antes. 

Uma história sobre sonhos e perseverança, envolvendo batalhas, amores e grandes amizades. Uma saga insana pela recuperação de Datahriun, onde vivem criaturas misteriosas com poderes fantásticos. 

Um lugar onde a magia é somente o começo!


Como tenho muuuitas outras autoras e autores para indicar, vou tornar esse post uma coluna aqui no blog. Se você é autor(a) (ou conhece algum) e quer ser indicado nos próximos posts dessa coluna, deixe seu nome e seu contato nos comentários!

You Might Also Like

3 comentários

  1. Esta publicação teve especial interesse para mim porque sou portuguesa. Muito interessante conhecer autores brasileiros :)

    missdeblogger.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  2. Oi, Raissa, tudo bom?

    Histórias nacionais devem ser divulgadas mesmo, autores e autores devem ser reconhecidos. Difícil é a gente dar uma chance sempre. Digo a gente no modo geral porque muita gente ainda não se abre e eu confesso que estou tentando mudar isso até em mim.

    Das autoras que você citou eu só conhecia a de "Janela indiscreta", que inclusive é um livro que eu sempre tive muita curiosidade de ler.

    Você já conhece a Bárbara Machado ("Antes de Casar") e K.S. Broetto ("Fassade")?

    - Bjux,
    Diego || Blog Vida & Letras ♥
    www.vidaeletras.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Rai, da sua lista só conheço a Layla e adoro a escrita dela, acho inclusive que ela poderia estar em grande editoras devido a qualidade do trabalho dela. As demais não conheço AINDA, mas dica anotadas!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Obrigada por me visitar!
Beijos.

contatoooldr@outlook.com

Canal

Canal
Se inscreva!

Facebook

Estou lendo

Estou lendo