Resenhas

The Duff - Kody Keplinger

23:30



Bianca Piper não é a garota mais bonita da escola, mas tem um grupo leal de amigas, é inteligente e não se importa com o que os outros pensam dela (ou ela acha). Ela também é muito esperta para cair na conversa mole de Wesley Rush - o cara bonito, rico e popular da escola - que a apelida de DUFF, sigla em inglês para Designated Ugly Fat Friend (Amiga designada gorda e feia), a menos atraente do seu grupo de amigas. 

Porém a vida de Bianca fora da escola não vai bem e, desesperada por uma distração, ela acaba beijando Wesley. 
Pior de tudo: ela gosta. Como válvula de escape, Bianca se envolve em uma relação de inimizade colorida com ele. Enquanto o mundo ao seu redor começa a desmoronar, Bianca descobre, aterrorizada, que está se apaixonando pelo garoto que ela odiava mais do que tudo.
Autora: Kody Keplinger
Ano: 2010
Páginas: 328 (versão brasileira)
Li em e-book


Conheci essa estória primeiramente pelo filme, só depois fui descobrir que na verdade havia um livro. Como eu gostei bastante da mensagem do filme, então resolvi procurar o pdf do livro e, felizmente, achei!

Logo de cara somos agraciados com a personalidade rabugenta e meio rude de Bianca, mas acreditem isso é bom! Desde a primeira página a personagem se mostra engraçada, sarcástica e, acima de tudo, muito sincera. Ela honestamente não dá a mínima para o que os outros pensam dela e não faz nenhum esforço para tentar se encaixar no modelo de garota que as pessoas valorizam tanto.

Bianca tem duas melhores amigas, Jessica e Casey, As duas são super lindas, uma é líder de torcida e a outra é amanda por todos. Bianca nunca se sentiu ameaçada pela beleza das duas, elas já são amigas há bastante tempo e Bianca é muito apegada às duas. Mesmo quando elas a arrastam para a balada, coisa que ela odeia.

É em uma dessas noitadas que Bianca dá de cara com Wesley Rush. Ele é o típico cara que pega várias meninas e não se apega em nenhuma. Bianca o odeia com todas as forças, pois ele representa exatamente todas as coisas que ela é contra. Ele, provando a razão para Bianca odiá-lo, a chama de DUFF, que basicamente quer dizer que ela é a garota feia do seu grupo de amigas. Bianca fica puta com ele e joga coca cola na cara de Wesley.

Mas mesmo não querendo, essa palavra fica na cabeça dela. Afinal de contas, mesmo as pessoas que tem a autoestima lá em cima se incomodariam um pouco por serem chamadas de feia tão diretamente assim.

O livro trabalha essa questão da autoestima e de como nós tratamos uns aos outros. Como estamos quase que constantemente julgando as pessoas, muitas vezes sem nem ao menos conhece-las direito.

Bianca tem uma ideologia um tanto feminista e reflete sobre como as garotas vivem se chamando de putas e vagabundas. Porque na verdade ninguém merece ser chamada de nada disso.

Só porque uma pessoa tem uma vida sexual ativa não significa que ela pode ser chamada de puta. Afinal de contas cada um faz o que acha melhor com seu corpo, não cabe a nós julgar ninguém.

Esse é um legítimo livro sobre ser você mesmo, se aceitar do jeito que é sem se importar com a opinião alheia. O livro passa essa mensagem sem aquela típica makeover com a personagem. Em nenhum momento Bianca pensa em mudar seu estilo ou seu jeito de ser.

É claro que por um tempo ela fica incomodada em ser chamada de Duff. Mas, ainda assim, ela continua sendo a mesma pessoa, sem ficar encanada em mudar suas roupas e seu comportamento.

Achei muito bacana a mensagem do livro. Acredito que esse modelo de personagem deveria ser mais explorado pelos autores e a aparência deveria ser menos enfatizada nas estórias. Assim o leitor, além de se identificar mais com os personagens, é incentivado a não dar tanta importância a aparência.

Esse livro é como um descanso das estórias em que todo mundo é perfeito em todos os sentidos. Porque gente, ninguém é perfeito e essa é a beleza da vida.

You Might Also Like

11 comentários

  1. Oi
    eu também descobri o livro por conta do filme e quero ler o livro, penso que é bom ler livros assim, eu mesma tenho a auto estima baixa e se fosse chamada de DUFF, ficaria chatiada. Que bom que gostou de ler e gostei da sua resenha.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Não conhecia o livro, mas o filme também tem esse nome? Não estou lembrada dele... Enfim, gostei muito dele, é uma ótima ferramenta para que nós possamos nos aceitar como somos e sem que ninguém fique cagando regra na nossa vida. Ele também é uma ótima pedida para sairmos um pouco da zona de conforto.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Raíssa!
    Eu gostei bastante desse filme, não tive a oportunidade de lê-lo.
    Mas concordo que muitas vezes cansa ler sobre a perfeição, afinal, é o que mais existe nos livros. Mesmo se a personagem não se acha bonita, no fundo, ela é, rs.
    Beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu nunca ouvi falar nem do livro nem do filme mas é sempre legal conhecer coisas novas! Bjus!!

    bomhumornaosaidemoda.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?

    Não conhecia nem o livro, muito menos o filme, mas gostei do seu ponto de vista.
    Não posso deixar de comentar o quanto essa capa lembra a de um livro que li no ano retrasado chamado Bubble Gum.

    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Raíssa!
    Eu li esse livro na época que foi anunciada a adaptação. Imagina a minha decepção quando assisti o filme. Enfim...
    Eu também curti muito a mensagem passada pelo livro. Nós, mulheres, temos esse defeito de ficar criticando outras mulheres e isso é oque nos enfraquece.
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe do sorteio do livro Marianas

    ResponderExcluir
  7. Oi, Raissa! Tudo bem? Confesso que não fiquei tão animada assim para conferir o livro e o filme, mas a pegada da história, de mostrar que ninguém é perfeito e dane-se o que os outros falam, me lembrou muuuito aquele filme da Emma Stone, o "Easy A". Esse não é o meu tipo de leitura, mas acho bacana tramas que passam essa mensagem e talvez seja um livro interessante para se ler depois de uma ressaca literária... Ao menos a fica está anotada! Bjs
    Jéssica S. - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oii!

    Eu tô para assistir ao filme há um bom tempo mas ainda não consegui. Quero ler a obra também, a capa da GloboAlt tá linda inclusive.
    Acho que o enredo é bem legal e parece bem trabalhado.
    É horrível e cansativo o número de livros com tudo perfeito. Uma pena que loucos autores fazem pouco uso do tema :(

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Sabe essa reflexão sobre não ser puta por ter vida sexual ativa? Eu ADORO ela! Sim, sou feminista, já ouvir falar de DUFF, mas de longe essa foi a resenha mais informativa a respeito da trama e das discussões que ele puxa fiquei com vontade de ir atrás de verdade!

    #DoQueEuLeio

    ResponderExcluir
  10. Ah!! Ontem mesmo vi que esse filme está disponível na Netflix. Vou assistir! Acho que vai ser bem divertido e, apesar do apelido idiota que esse Wesley deu para ela, acho que vou me apaixonar por ele também hahaha. E quanto ao livro, vi que tem um novo, né?? Não sei se é a continuação ou se é uma nova versão! Já viu??? Acho que é da editora Globo Alt. A capa e o marcador são sensacionais! :)

    Beijocas,
    Carol
    www.pequenajornalista.com

    P.S: amei o seu texto Drama Queen que você escreveu para o Projeto Drama Queen (meu e da Teca Machado, do blog Casos, Acasos e Livros). ♥

    ResponderExcluir
  11. Eu vi esse filme faz algumas semanas e fiquei muito interessada quando me falaram que tem o livro. Adorei a sua resenha e pretendo ler!
    Adorei o blog também, é tudo muito lindo aqui, adorei o layout, o nome, adorei tudo. HHAHA, seguindo com certeza. Beijos da Sam!! <3
    sonaorepareabagunca.blogspot.com

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Obrigada por me visitar!
Beijos.

contatoooldr@outlook.com

SUBSCRIBE

Categorias