Diário da Raposa #8: Por que não nos solidarizamos pelo Oriente Médio?



Primeiro post do ano e já vamos começar com um tema bem importante hein galera!

Hoje o Diário da Raposa trás um tema mais pesado do que o que estou habituada a escrever aqui.
Minha semana de provas passou e na matéria de Jornalismo Internacional tivemos que fazer uma análise da cobertura brasileira sobre os atentados terroristas em Paris. (mais uma vez venho lembrar que NÃO ESTOU generalizando, não acho que todo mundo pensa igual)

Ao pensar sobre isso e também depois de debater o assunto com o professor, me dei conta do quão pouco foi falado sobre as vítimas no Líbano, na Síria ou quem sabe no Iraque. Certamente são países distantes, com culturas bem diferentes... Mas assim não é também com Paris? Quer dizer, os franceses tem hábitos, música, cinema, tudo bem diferente da nossa realidade aqui no Brasil. Então por que ainda assim nos comovemos mais com as vítimas de lá?

Veja bem, não estou querendo aqui medir que país é mais importante ou por quais mortos deveríamos chorar mais. Não é uma competição fúnebre!

A questão que quero trazer à luz é que há milhares de pessoas sofrendo por causa do Estado Islâmico no Oriente Médio. Pessoas pobres que,  em muitos lugares, não tem nem água potável e que morrem tanto de fome quanto por atentados da própria facção terrorista.

Mas pouco se houve falar em um homem bomba que se explodiu durante um funeral por lá, ou nas crianças que ficaram sem seus pais, ou nos muçulmanos que são inocentes, mas que sofrem preconceito no exterior...

Acho sim uma atrocidade o que aconteceu na França, deixando tantas pessoas inocentes mortas ou feridas, fora o trauma de ter passado por uma experiência tão horrível. Mas eu gostaria de ver toda essa mobilização, compaixão e solidariedade serem destinados também, por exemplo, aos tantos refugiados sírios que estão morrendo aos montes no mar, em uma tentativa desesperada de sobreviver.

Li recentemente uma matéria na revista Exame em que uma psicóloga explicava que o comportamento das pessoas pode ser explicado pelo fato de que nós, seres humanos, nos solidarizamos mais com quem nós é mais comum.

Que nos identificamos mais com os franceses por conhecê-los melhor, sonharmos em ir viajar para a Cidade Luz e ver a Torre Eiffel. A mesma matéria comenta que, não conseguimos nos identificar tanto com a população do Oriente Médio pois quase nunca ouvimos falar coisas boas de lá. Aliás, mal conhecemos a cultura daqueles países.

Parando para pensar nisso me pergunto o porque de não nos interessarmos por tais culturas?

Lendo a respeito do Islamismo vejo coisas que eu concordo e que não concordo no modo de vida deles. Acho que as mulheres lá tem poucos direitos e privilégios. Porém, não cabe a mim decidir o modo mais apropriado de uma mulher viver se ela estiver de acordo com as regras que deve seguir no islã. Defendo medidas e leis que protejam os direitos de mulheres que não querem viver daquele modo. Porém é importante respeitar o desejo de cada um como indivíduo.

A minha maior esperança mesmo é que a humanidade deixe de ser tão violenta, intolerante e gananciosa. Que a paz e o amor reinem nos corações de todos para que ninguém mais tenham que passar fome, medo, tristeza e miséria.

Comentários

  1. Olá!

    Realmente é um ótimo tema paras refletirmos. Eu acho que isso acontece porque está na nossa cultura. Assim como livros, filmes e séries na maioria das vezes são americanas e nunca vamos atrás de conhecer de outros trabalhos e tals.
    As aulas do Sclavi foram ótimas porque ele sempre nos faz refletir. Eu mesma não era muito curiosa em relação a tematica, mas comecei a pesquisar.
    Acredito que a chave de tudo é o respeito. De todos os lados sabe? Entendo que eu a partir do momento que as pessoas começam a respeitar as escolhas alheias, as coisas fluem melhor.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aulas do Sclavi rendendo post desde sempre kk
      Respeito é a chave!

      Excluir
  2. Que texto perfeito.. temos mesmo que nos solidarizar pelo mundo como um todo porque a situação está péssima em todos os lugares, infelizmente.
    Um beijo

    Dicas para Todas
    Sorelle di Vita - Loja online

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Concordo com o ponto de vista da psicóloga que você citou: o ocidental é seletivo demais. Se o cara é parecido com ele e passa por algo assim, pensamos "nossa, que triste, vamos ajudar", mas se isso acontece no Oriente Médio, onde os cristãos morrem às dúzias, então ninguém liga. Tudo não passa de questões religiosas e culturais, o que é triste. Acho que o primeiro passo para o mundo melhorar é cada um começar a cuidar da própria vida, assim não teríamos tantas tragédias assim.

    resenhaeoutrascoiass.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. gostei mt de vc ter abordado esse tema, engraçado como escolhemos msm com que tragedia humanitaria se importar mais...sendo que tds essas pessoas precisam de ajuda, tbm desejo um 2016 com mais paz no mundo

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  5. Muito bom seu texto, queria muito fazer um curso de psicolgia para ver se entendo mais o comportamento humano.
    Tem um super sorteio rolando no blog e vc não pode ficar de fora.
    Venha conferir. Seguindo, segue de volta?
    Blog Estilo.Quem tem?
    Quer ter mais acessos ao seu blog? Acesse HitLeap - #
    Seja um afiliado Egrana e ganhe dinheiro na internet de um jeito bem fácil.

    ResponderExcluir
  6. Oi Rai, gosto muito dessa coluna!
    Você pegou um ponto bem forte para discutir. Também me questiono do porquê de a mídia não dar tanta atenção quanto o povo de lá merece. E acho que essa questão levantada pela revista Exame é apresentável, apesar de não fazer muito sentido. Você me entende? Concordo com o que você falou após isso.
    Enquanto o homem, de modo geral, continuar com a guerra, não teremos paz.
    Historiar

    ResponderExcluir
  7. Cada vez mais você me surpreende, raposinha!
    Eu sou socióloga de formação e me interessei bastante por política internacional enquanto estudava e esses povos são realmente fascinantes. A grande questão é que vivemos e nos desenvolvemos em cima do "eurocentrismo" e posteriormente o "ocidentalismo", sendo assim, toda essa ordem mundial que nos rege de uma maneira ou de outra nos afastas das culturas periféricas, que não fazem parte desse eixo EUA-Europa. Bem... não vou fazer um testamento aqui sobre isso, se não você cairá no sono haha
    Enfim, seu texto é lindo e inspirador. Se você quiser saber mais sobre a cultura do oriente médio e um novo olhar para mundo, pesquise sobre as correntes orientalistas. Tem um autor muito conhecido chamado Edward Said.
    Beijos e por mais textos inspiradoramente lindos como esse :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É por comentários assim que eu continua trazendo esses temas para o blog! Vou pesquisar sim Nina!!

      Excluir
  8. Primeiramente quero parabeniza-la por abordar esse tema no seu blog, achei muito interessante.
    Tu tem uma visão parecida com a minha em relação a tudo isso.
    Temos que nos solidarizar por todos, não só por aqueles que mídia mostra.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Raíssa!
    A fala da psicóloga é bem chave, acredito que seja isso o q acontece.
    Acho tbm q isso acaba refletindo na midia, que da muito menos destaque ao q acontece no Oriente Médio "pq as pessoas n ligam msm", e fazem aquela cobertura enorme sobre Paris.
    É triste que isso aconteça tanto no Oriente Médio que acaba sendo visto como "comum".
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Pessoas inocentes deveriam ter os mesmos direitos...

      Excluir
  10. Adorei demais a postagem! Já vinha discutindo isso com amigos, familiares e colegas, mas foi maravilhoso ver o tópico sendo levantado para leitores a mais. A mídia tradicional é repleta de intencionalidades político-ideológicas e, ainda bem, temos a internet hoje para quebrar esses "padrões" seguidos por meios corruptos e/ou limitados. A questão é que existem diversos inocentes em todos os locais, e devemos lembrar disso antes de qualquer julgamento generalizado. Espero mais posts desse tipo, viu? É uma reflexão básica que merece atingir mais mentes.

    WWW.SEMQUASES.COM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! E pode deixar que temas assim sempre estarão sendo discutidos por aqui! ;)

      Excluir
  11. Amei o texto, e super concordo com você - finalmente alguém que pense como eu !! As pessoas estão se comovendo com Paris, e se esquecendo dos outros pais, até mesmo se esquecendo do próprio pais !! é uma coisa revoltante e gera discussão, mas você está de parabéns pelo seu texto.
    amei seu blog, e já estou seguindo.

    Blog: seteprimavera.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Rai, que post fenomenal! Sério mesmo... achei ótima a maneira que você colocou a problemática de um sem denegrir o outro, ou muito menos igualar. Sabemos que são situações extremas e muito diferentes, porém ligadas pelo terrorismo proveniente do Oriente Médio na maioria das vezes.

    Eu nunca tinha pensado por este ângulo e estou indo agora pesquisar mais sobre a cultura e a situação daquele pedaço do mundo. Todos os dias há inúmeros tristes e medonhos acontecimentos no Oriente Médio e o mundo, principalmente a mídia, parecem não se importar, ou muitas vezes preferem fechar os olhos para a dura e real realidade que vive aquelas pessoas. Isso tem que mudar já!

    Obrigado por trazer post tão esclarecedor e de cunho tão reflexivo! É super válida esta reflexão e espero que você traga mais posts tidos como "polêmicos" por aqui, hahaha. Quero ver como você se posiciona. 2016 já começou muito bom! Muita luz, paz e sucesso!

    Ps: já estava com saudades de comentar neste cantinho lindo. Beijos.

    Ewerton Lenildo - Viajante das Letras.
    viajantedasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que felicidade em ler seu comentário por aqui!
      Obrigada por tudo o que disse e pretendo trazer mais temas assim aqui para discutirmos! ;)

      Excluir
  13. Raíssa te indico um podcast muito legal que fala sobre o trabalho de uma brasileira no oriente médio, ela desmistifica muitas coisas sobre lá.

    http://jovemnerd.com.br/nerdcast/nerdcast-496-uma-viajante-no-oriente-medio/

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  14. Oi Ra, tudo bem contigo ???
    Flor, sei que estou um pouco atrasada para aparecer aqui na sua postagem, mas como ela é a primeira do ano, e ainda por cima é sobre um assunto tão importante, não poderia deixar de vir aqui dar a minha opinião.
    Lembro que quando o atentado em Paris aconteceu uma discussão se iniciou para escolher o que era mais importante, o caso de Minas, uma realidade terrível que vivenciamos em nosso próprio país, ou se era o que aconteceu em Paris, um lugar distante. Eu, assim como muitos outros, levantamos a bandeira de que não existe sofrimento mais importante que outro, e assim como você destacou, não é Paris, ou o Oriente Médio que são mais importantes, ou os tiroteios nos Estados Unidos, ou barragens rompendo aqui no Brasil. O problema é que nós não conseguimos se solidarizar com todos eles, e mesmo que todos sejam importantes e mereçam atenção, ainda vai ter gente "escolhendo".
    Acho que o que você disse está totalmente certo, as vezes, por não conhecermos a situação, a cultura, as crenças de outros lugares, acabamos deixando seus sofrimentos de lado. Por isso que é tão importante conhecer antes de julgar né ?!
    Adorei ler seu texto, acho muito importante levantarmos essa reflexão !!! ^^

    Beijinhos
    Hear the Bells

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Obrigada por me visitar!
Beijos.

contatoooldr@outlook.com