Contos

Encontre-me

23:30



Melanie cruzou a areia da praia em direção ao mar com lágrimas nos olhos. Sua avó materna, a pessoa a quem ela era mais apegada nesse mundo, acabara de falecer.
Ela tinha acabado de voltar do hospital, lugar onde se despediu dela e agora parecia que seu mundo estava desabando.

Limpou os olhos úmidos com as costas da mão e cruzou os braços no peito. Após alguns minutos suas lágrimas cessaram e ela já se sentia mais calma, observando o vai e vem das ondas.

Ela morava na praia desde sempre e aquele era seu lugar favorito. Ia sempre lá com sua avô antes de ela adoecer e ser internada. As duas costumavam catar conchas na areia para colocar em potes de vidro.

Melanie estava se recordando deste momento quando viu ao longe, na outra ponta da areia, uma garotinha indo sozinha em direção ao mar.

Imediatamente ela correu atrás da menininha, com medo de que algo ruim acontecesse com ela.

- Ei!! - gritou Melanie.

Mas a garotinha já alcançava a água e ia seguindo rapidamente para mais fundo no mar.

Melanie olhou ao redor, a fim de verificar se alguém estava com a garotinha. Mas não encontrou mais ninguém na praia. Então ela começou a correr. Ainda estava um pouco longe e tinha o mal pressentimento de que não chegaria a tempo.

Mas então algo inexplicável aconteceu. A garota sumiu. Melanie parou abruptamente, sem fôlego e apoiando as mãos nos joelhos, enquanto varria a praia novamente com o olhar. Mas não encontrou nem sinal da garotinha, nem na água e muito menos na areia da praia.

Sera que ela se afogou?

Recomeçou a correr até finalmente chegar ao ponto onde tinha certeza de te-la visto. Mas, ainda assim, nem sinal dela.

Dois dias depois desse acontecimento estranho, Melanie acordou no meio da noite com o corpo todo suado. Havia tido um sonho horrível em que uma garotinha se afogava, naquele mesmo lugar da praia.

Ela imaginou que o sonho fosse em decorrência do acontecimento de dois dias atrás. Mas não poderia estar mais enganada. Logo percebeu que algo estranho de fato acontecia com ela, quando noite após noite, continuava a sonhar a mesma cena.

Em uma manhã fria, Melanie decidiu voltar ao local que passou a sonhar todas as noites. Para a sua surpresa, encontrou ali, quase todo enterrado na areia, um colar pequeno de ouro, com um pingente de coração. Pegou-o e examinou-o com atenção.

Em seguida sentiu uma mãozinha fria segurar seu cotovelo. Quando se virou, assustada, viu uma garotinha toda molhada, com um vestido branco encharcado e sujo. A região ao redor dos olhos estava roxa e sua pele muito branca.

Melanie tentou gritar, mas a voz estranhamente ficou presa na garganta. A garotinha só continuou a encarando, com uma expressão de urgência no rosto. Depois ela olhou para o colar e novamente para Melanie.

Após um minuto Melanie viu sua mãe surgir ao longe, com a expressão preocupada. Baixou então o olhar para a garotinha, mas ela já havia sumido.

No dia seguinte, no café da manhã, ela reparou pela primeira vez nas notícias do jornal da tv. O apresentador contava mais um caso de criança desaparecida. Os pais estavam dando uma entrevista, com os olhos inchados e bem vermelhos, enquanto seguravam uma foto de uma menininha. De repente o coração de Melanie acelerou como nunca antes em sua vida. Era ela. A garota que ontem mesmo estava segurando seu braço com tanta urgência.

- Nossa Melanie! Que marca é essa no seu braço? - perguntou sua mãe com preocupação.

Ela olhou então para seu braço direito e reparou que ali havia uma marca perfeita de dedinhos miúdos. Sentiu seu sangue congelar novamente.

Foi dormir naquele dia com o coração apertado. Adormeceu com algumas lágrimas nos olhos e agarrada ao cobertor.

No meio da noite Melanie acordou novamente do pesadelo que a vinha perseguindo há dias. Seu coração estava disparado, ela sentou na cama e esperou que seu corpo se acalmasse. Ela havia deixado a janela entreaberta e a luz do luar entreva em seu quarto, deixando o ambiente com uma luminosidade estranha. Enquanto observava as sombras, Melanie reparou em um movimento estranho, perto da porta do banheiro.

Ela se levantou e caminhou até ali, curiosa. Quando se aproximou, notou que no chão havia aquele mesmo colar que encontrara na praia. Ela parou na mesma hora e sua respiração ficou irregular. Naquele dia ela havia deixado cair o colar na areia e ido embora. Como ele poderia estar ali, no chão do quarto dela neste momento?

Sentiu então o mesmo toque que havia sentido na praia e, com lágrimas nos olhos se virou lentamente. Ela estava ali. A olhava com os olhos escuros arregalados, como se precisasse dizer algo imprescindível. Então a menininha mexeu os lábios, porém sem soltar som algum. Melanie reconheceu as palavras.

Praia. Corpo. Pais.

Melanie fechou os olhos bem apertado e respirou fundo algumas vezes antes de abri-los novamente. A garotinha não estava mais ali, porém o carpete do quarto estava marcado pelo formato de dois pés molhados.

No dia seguinte Melanie foi até o posto policial mais próximo. No caminhou ficou pensando em como daria uma informação assim sem parecer suspeita ou, no mínimo, maluca.

Chegou na delegacia e parou em frente a um quadro de avisos. Ali ela encontrou a foto da garotinha de seus sonhos. Ela estava com um sorriso lindo, tinha os cabelos bem escuros e cheios e um rostinho adorável. Bem diferente da figura que aparecia em seus sonhos. O coração de Melanie se apertou e os olhos umedeceram. Ela queria muito ajudar os pais da garotinha a encontrá-la, mas não fazia ideia de como alguém acreditaria nela.

Um policial parou ao seu lado. Quando Melanie o olhou ele estava encarando o quadro com uma expressão de frustração em seus olhos.

- Ela está desaparecida há dias. Sumiu quando os pais faziam compras no mercado perto da costa. Imaginamos que alguém possa tê-la levado. Mas não achamos nada no circuito interno do estabelecimento. - ele suspirou pesadamente e olhou pra ela. Ele era bem alto, com cabelos claros e olhos tristes castanhos.

Melanie então teve uma ideia.

- Eu moro em frente à praia, há vinte minutos daqui. Há alguns dias me lembro de ter visto uma garotinha muito parecida com ela na praia. Ela estava sozinha. Achei estranho, mas quando cheguei perto, ela já não estava mais lá. - aquela era basicamente a verdade. Então ela não estava mentindo para a polícia.

- Você tem certeza? - perguntou o policial alarmado.

- Sim. - Melanie encarou a foto da linda garotinha novamente. - Era ela sim.

Dois dias depois disso acharam o corpo da garotinha no mar. Parece que ela havia se separado dos pais e ido até a praia. Os policiais não sabiam dizer se alguém a havia levado até lá. Se fosse o caso, isso teria acontecido após a garotinha ter saído do mercado onde estava com os pais.

Apesar de o caso não estar totalmente solucionado, Melanie já se sentia melhor pelos pais poderem finalmente enterrar sua filha. Eles a agradeceram imensamente pela ajuda. E ela se sentiu bem ao olhar a foto da garotinha mais uma vez pela televisão.

Desta vez, em seus sonhos, Melanie só encontrou a garotinha brevemente e ela estava com a aparência da foto do quadro de avisos. O rosto estava alegre e ela dançava na praia, rodopiando e rindo pra Melanie.

Fim.

You Might Also Like

23 comentários

  1. nossa, que texto mais lindo!!!! adorei, bom feriadao lindona

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Fiquei arrepiada!
    Que coisa mais linda...

    Fabi Carvalhais
    pausaparapitacos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá Flor
    Tudo bem?Acho que nunca li um texto tão rápido, fiquei muito curiosa pra saber o que acontecia no final, eu realmente gostei, sigo a religião do espiritismo então realmente por um lado entendi a mensagem, acho que o espirito da Garotinha não descansaria em paz se os pais não a encontrassem, por sorte ela teve ajuda,não vou ficar entrando em detalhes HAHAHA, se não vou escrever um texto enorme, mas adorei, publique mais flor.
    Beijos
    http://resenhaatual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Raissa, muito bom o texto. Comecei a ler meio sem querer e não consegui mais parar. Fiquei envolvida e emocionada, parabéns.

    beiijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Raissa! Tudo bem?
    Meu, que texto profundo e lindo *-*
    Mto bom ! Parabéns !!

    Bjos
    mundoemcartas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Nossa que texto :)
    Adorei!!!
    Beijokas da Camila e Carol
    já estamos de volta e já tem novidades
    Vamos Papear 

    ResponderExcluir
  7. Gente!!!!!!! Que texto lindo!!
    Sério!! Me arrepiou!

    Bjs
    www.garotadebotas.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Raíssa!
    Bem emocionante, parabéns pelo belo texto.
    Cheio de sentimento.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Gente, estou chocada. Texto é muito envolvente.


    Beijos Amora
    Amoras com Classe

    ResponderExcluir
  10. Fiquei arrepiada com esse seu texto, muito lindo!
    Beijos

    http://beingasunshine.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Meu Deuusss!!!
    Eu não consegui tirar os olhos do meu note enquanto não terminei de ler seu post...caraca bom demais!!!!
    Parabéns pela escrita!!!

    Beijos, Bá.
    http://cafecomlivrosblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Adorei o conto. Você já assistiu, Contatos do Além? Seu conto lembrou um pouco a história presente nesse filme. Melanie foi bem corajosa ao buscar ajuda para dar paz a alma da garota.
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi, Raíssa. Tudo bem? Eu adorei o seu texto, não sei nem expressar muito bem os sentimentos que ele deixou... Muito bem escrito. Parabéns.

    Beijos
    SIL | Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    To chocada! Na verdade, estou sem palavras para descrever o que li. Simplesmente envolvente. E pobre criança, ainda bem que a Melanie pôde ajudar. Parabéns pelo texto!

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Raissa, que conto é esse?? Eu comecei a ler e quando percebi já tava completamente envolvida, querendo descobrir o que aconteceu com a menininha. Em poucas frases você conseguiu construir um conto pequeno mas de grande impacto, além de escrever super bem, parabéns!! *-*

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Uma história de amor e TOC", vem conferir!

    ResponderExcluir
  16. Caraca hahaha adorei o texto, no início fiquei assustada, porque já tive o mesmo pesadelo várias noites HAHAH. Foi você que escreveu? Eu amo histórias de mistério/terror, quer mais :D

    Beijos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
  17. Oi Ra, tudo bem flor ???
    Ra, não sei qual era a real intenção de seu texto, mas acho que ele tem tudo a ver com o halloween, tudo a ver com o mês das bruxas !!! Dito isso, preciso dizer que achei a sua história linda demais, e ao mesmo tempo, melancólica. Me lembrou bem aqueles filmes de terror que apostam no drama de suas histórias. Adorei, adorei, adorei o seu texto. Ele mostra muito bem uma coisa que eu sempre defendo (e mais uma vez repito, não sei se essa era sua intenção) filmes, livros, histórias de terror e suspense nem sempre são terríveis, cruéis, assustadores, muitas vezes eles podem ser lindos. É assim que me sinto com relação ao seu texto !!! ^^
    Parabéns por essa história maravilhosa !!!

    Beijinhos
    Hear the Bells

    ResponderExcluir
  18. Olá,
    Nossa, você escreve muito bem. Gostei do texto e do fato dele fugir do óbvio das histórias de amor de sempre.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Genteeeee, sério que foi você que escreveu esse texto Rá ??

    Caramba !! Mil vezes parabéns !!!! :D

    Beijo !

    | O Blog Que Não é Blog |

    | Canal no Youtube |

    ResponderExcluir
  20. Olá!!

    Seu conto me lembrou um que tem no Formaturas Infernais, mas bem por cima. Onde o rapaz entra no sonho da personagem pedindo ajuda. Gostei!
    Você conseguiu manter um padrão durante a escrita :D Parabéns.


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  21. Olááá!
    Nossa, eu ia lendo o texto super rápido pq necessitava saber o que estava por vir. Foi surpreendente e chocante, você escreve bem demais.
    Ficou maravilhoso!
    Beijos,
    Masen's tale

    ResponderExcluir
  22. Oi Raissa!
    Gostei muito do conto, você escreve muito bem, com um jeito leve e instigante. Adoro estórias com temática sobrenatural e esta me agradou muito. :)
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Oi! Tudo bem, guria?

    Gente, que conto mais bafônico! Adorei! Tu escreve muito bem e conseguiu me prender até a última linha da postagem. Vou adorar ler mais criações tuas!

    Um beijo,
    Doce Sabor dos Livros docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Obrigada por me visitar!
Beijos.

contatoooldr@outlook.com

SUBSCRIBE

Categorias