O Nosso Começo



A primeira vez que te vi estava distraída a princípio, conversando animadamente com um grupo de amigos e nem reparei em sua chegada. Mas não demorou muito e logo notei você, do outro lado do corredor abarrotado de estudantes que falavam alto e davam risadas.

Corei e sorri timidamente, seu olhar era tão profundo e denso, como se lesse minha mente e enxergasse através de mim.

Nosso olhar se cruzou e você continuou sério, concentrado em mim.

O sinal soou, informado que a aula começaria. Então todos os alunos a nossa volta começaram a se mexer, a caminho de suas salas. Mas você continuou lá, me encarando. E eu congelada por esses olhos escuros e indecifráveis, até o corredor finalmente se esvaziar.

Imaginei que talvez você tivesse esperado que todos saíssem para falar à sos comigo. Porém no minuto em que estávamos definitivamente sozinhos, você deu o mais leve dos sorrisos, inclinou a cabeça um instante e depois se foi também.

Fiquei um minuto perplexa, chocada em como aquele olhar me fez sentir. Como se te conhecesse minha vida toda e soubesse exatamente o que estava pensando. Mas não sabia.

Logo os dias foram passando e, mesmo nos encontrando todos os dias, você nunca falou comigo ou sequer me dirigiu aquele olhar novamente. Comecei a imaginar que eu devia estar ficando louca, obcecada por um cara que nem ao menos eu conhecia ou mostrava interesse por mim.

Não contei a ninguém nosso encontro de olhar e muito menos os pensamentos que se seguiram depois dele.

E então, com muita relutância me obriguei a parar de pensar em você, me distraindo com qualquer coisa todas as vezes que seu rosto surgia em meu campo de visão ou em meus pensamentos.

Mas isso não foi fácil, te encontrava quase todos os dias e sempre após cada encontro, me pegava pensando em como seriam as coisas se eu finalmente tomasse coragem de ir falar com você.

Mas depois de tantos encontros sem troca de olhares comecei a ficar realmente aborrecida. Afinal quem você pensava que era para um dia me olhar daquele jeito e nos outros fingir que eu não existia?

Depois de alguns dias desde que te vi pela primeira vez me convenci a finalmente deixar tudo isso de lado.

As provas finais do curso estavam chegando e eu estava realmente concentrada.

As pessoas estavam tão estressadas por causa das provas que não era difícil haver discussões por motivos bobos. Foi assim que na segunda feira, após uma prova super complicada, é que acabei discutindo no meio do corredor com meu melhor amigo.

Foi horrível, todos estavam olhando pra nós e eu só me lembrava de sentir raiva e frustração.

Senti arrependimento na hora pelas palavras que disse à ele, mas não queria passar mais nem um segundo daquela humilhação. Então sai de lá o mais rápido que pude.

Encontrei um lugar calmo, sem precisar andar muito e comecei a pensar como eu gostava daquele amigo e em como eu sempre andava com ele. E agora teria de passar o resto dos dias sozinha.

Foi nesse momento que senti alguém se sentar ao meu lado. Logo em seguida ouvi sua voz rouca e grave.

- Tudo bem?

E aquele foi o nosso começo.



PS: Participem do Sorteio de Aniversário do blog aqui!!

Comentários

  1. Ahh que texto maravilhoso! Você me fez voltar no tempo, no ano passado quando fazia um cursinho. Você escreveu de uma forma tão simples mas ao mesmo tempo tão sincera, que foi impossível eu não relembrar de coisas da minha própria vida, e não me sentir um tanto quanto... triste, talvez? haha.
    Eu queria saber como essa história terminou, e eu exijo uma continuação, hahaha! Beijos
    Desfocando Ideias

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo <3 Parabéns pela escrita, Rai.
    www.iamcamilakellen.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Uiaaa, que texto lindo Ra ! :)

    Parabéns... qualquer semelhança com a vida real é mera coincidência ? Hhehehe.

    Beijoo !

    | O Blog Que Não é Blog |

    | Sorteios Na Web |

    | Cadastre-se no Egrana |

    ResponderExcluir
  4. Maravilhosa sua forma de escrever <3 Muito amorzinho!!!
    Se puder visita meu blog também: http://keepthisphotograph.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que texto lindo, Raissa!
    Me lembrou de uma forma bem leve como é bom estar conhecendo alguém nesse caos que é estudo, prova e afins. Ficou lindo, parabéns! <3

    Beijão,
    surmelody.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi! Tudo bem?

    Ahhhhhhhh! Que amorzinho! Gostei muito dessa narrativa, garota. Você escreve bem! E me deixou pensando em um carinha... maldade, hein?

    Um beijo,
    Doce Sabor dos Livros docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Raíssa sua danadinha... kkkk
    Menina que texto fofo!
    Gostei do jeito simples que você escreveu, mas que ao mesmo tempo teve profundidade nele.
    Poderia ser o início de um belo romance? Que tal???
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  8. TO MORRENDO DE AMOR COM ESSE GIF DE REBELDE HAHAHAHAH nostalgia apitou aqui com mia e miguel <3. Nossa, que texto lindo, o pior é que tô sofrendo por amor e pensando na primeira vez que vi ele. A gente se conheceu pelo o tinder e quando eu ouvi aquela voz fanha, parece que eu tava adivinhado que era ele... e continua sendo. ):

    . Adorei conhecer o blog, tô seguindo ele, SobreLentes.blogspot<

    ResponderExcluir
  9. Oi rai que lindo o seu texto, sempre deixando a gente com aquele gostinho de quero mais...apaixonante...

    www.maniadecoque.com

    ResponderExcluir
  10. *-*
    Eu não sei se essa é a melhor descrição para exemplificar o que eu estou sentindo agora ... Mas eu vou dizer assim mesmo: estou vomitando arco íris nesse exato momento !!!
    Okay, talvez esse não tenha sido um dos meus melhores comentários, mas a culpa é sua Raissa, rsrsrs. Que texto é esse ?!
    Muito, muito amor por esse texto !!!
    Nem sei o que escrever, nem sei o que dizer, mas parabéns pelo texto maravilhoso !!!

    Beijinhos
    Hear the Bells

    ResponderExcluir
  11. Oi, Raíssa.
    Puxa, gostei muito do texto.
    Gostaria de ler mais textos assim em blogs, mas quase não encontro.
    Gosto de contos românticos nesse estilo, retratando os começos de algum relacionamento.
    Parabéns!
    Abraços.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Obrigada por me visitar!
Beijos.

contatoooldr@outlook.com