Relacionamentos

fevereiro 06, 2015






Primeiro gostaria de lembrá-los a respeito do sorteio Ressaca Literária que está acontecendo aqui! Participem!!


Outro dia estava conversando com minha mãe sobre amizades e relacionamentos. Antes ela saia sempre com as amigas, quase todos os dias. Haviam festas e as pessoas dançavam mais, aquela dança gostosa que os casais dançavam juntinhos. Ouvindo as histórias dela me pareceu uma época mais fácil, sei lá.

Não sei o que fez as pessoas se afastarem, talvez elas sempre tenham sido assim, mas parece que hoje é tudo mais difícil. Pelo menos aqui onde eu moro, São Paulo, quando quero sair com meus amigos sei que vou ter que gastar ou vou ser tentada a comprar um sorvete ou coisa assim. Então fica mais difícil sair com frequência e sem fazer sempre a mesma coisa.

Talvez esse seja o meu problema e o problema de todo mundo, a gente não sai só pra conversar... Sempre tem que ter outra atividade envolvida, ou beber, o que gasta muito também.

Acho que o que eu estou tentando dizer é que nós complicamos muito as coisas pra ter um bom relacionamento, tanto amoroso quanto qualquer outro.

Os namoros também estão me assustando. As pessoas terminam cada vez mais rápido e por motivos que poderiam ser resolvidos, com força de vontade. Mas parece que essa força de vontade está cada vez mais extinta.

Vejo, inclusive, muito textos nos blogs de pessoas que terminaram seus relacionamentos...

Admiro quem se esforça pra ter algo sólido e sério, mas ao mesmo tempo leve e descontraído. É isso! Ou as pessoas se levam a sério demais e ai qualquer motivo é motivo pra brigar e se separar, ou não levam a sério e não mantém nada duradouro.

É preciso trabalhar um equilíbrio de seriedade e leveza, mas também necessário que as pessoas queiram fazer isso, se esforçar.



Então sou só eu que tive essa impressão ou vocês concordam também com o que escrevi?
Quero suas opiniões sobre o texto, afinal uma mente só não pensa tão bem quanto várias, né? haha

Comentem!!







You Might Also Like

20 comentários

  1. Me identifiquei muito com o teu texto. Namoro a 4 anos e sou noiva a quase 1 ano, mas temos sempre que dividir nossas vidas com outras pessoas. Temos amigos diferentes, e gosto de ter sempre um momento para eles e para mim. Bom, mas vejo pessoas que não aguentam 2 meses de namoro, terminam, voltam, começam com outra pessoa. Mas o que mais me irrita são as "amigas" que incomodam quando estão sozinhas, mas quando estão com alguém desaparecem do mapa. Quanto a sair e "gastar", faz parte, o mundo é capitalista, e a sociedade impõe valores o tempo inteiro. É a vida!

    beijos

    http://mundo-restrito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      A sociedade atual caiu no comodismo, quer tudo fácil, não se habilita a resolver um problema seja no relacionamento seja na amizade... Viver numa sociedade cheia de frescuras tá chato.....

      resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

      Excluir
  2. Oi Raissa acho que o mundo atual e todo o sistema político, social e monetário acabam tornando as amizades e relacionamento efêmeros. Não existe mais a ideia de gostar de alguém sem esperar nada em troca, tipo gostar por gostar, as relações estão cada vez mais comerciais, se parecem com mercadorias. Enfim, to começando a viajar vou parar por aqui. Seu texto é ótimo! bjs

    De Coturno & Spikes

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu texto <3 Namoro há 9 meses, estamos levando até bem. Nossa historia foi bem complicada, mas, agora ta tudo bem
    www.iamcamilakellen.blogspot.com
    www.facebook.com/iamcamilakellen

    ResponderExcluir
  4. Concordo linda, mas fica tranquila e tenta ver sempre o lado positivo das coisas.
    A parte boa de ter essa distância é saber que quem está perto, aproveitando as coisas simples com você, como caminhar na rua ou sentar na calçada de casa, são as pessoas que valem ter a pena na vida. :)
    Beijinhos com carinho! Ka. ♥
    www.normalidadeincomum.com.br
    www.youtube.com/normalidadeincomum

    ResponderExcluir
  5. Concordo e muito com você. As coisas ficaram inexplicavelmente complicadas e ninguém mais sai para conversar. E quando as pessoas saem, a conversa fica entre as telas dos celulares. Isso me irrita profundamente, saber que hoje eu quase não tenho vida social por querer que minha vida se mantenha social e não virtual.
    É impressionante, tudo hoje é na base das mensagens curtas, indiretas, curtidas em foto. Ninguém mais tem coragem de dizer o que sente de maneira direta. O sr. Zuckerberg e seus sucessores conseguiram, criaram redes sociais para que ninguém mais socializasse. Você não faz ideia do quanto me perturba constatar que as conversas mais profundas que eu tive nesses últimos anos foram por e-mail. E não faz tanto tempo que isso mudou, cinco, seis anos atrás as coisas não eram assim. Davam sinais de ser, mas não tinham chegado lá. Agora já era, o único jeito de se comunicar com outro ser humano é via WhatsApp (que eu não sei direito o que é, mas já odeio).

    Quanto aos gastos, pode até ser consequência do capitalismo, mas pra tudo há limites. Uma cerveja que no mercado é 2 reais fica por 10 no bar. Aí tem a taxa de entrada (entre 10 e 50 reais, em lugares populares), os 10% de serviço, as porções de comida que nunca são menos de 15. É impossível sair sem gastar, no mínimo, 100 reais. Tão complicadas as coisas, pra dizer o mínimo.

    delirandoeescrevendo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Ray!
    Muitos dias sem aparecer em seu cantinho e sempre que venho tem um ótimo texto a ser lido. Olha concordo com você que as pessoas terminam mais rápido hoje em dia. Sei lá, parece que veem a vida com muita futilidade - nunca namorei sério, por isso não tenho muito o que dizer - afinal acho que nunca chegou o cara sabe? um dia Deus o mandará.

    Já terminei amizades que realmente não tinha como ir para a frente, mas mantenho uma com um ex-quase namorado, temos uma história e tal, mas nunca aconteceu de ser sério mesmo, porque ele era meio instável e eu não estava disposta a sofrer mais do que já tinha sofrido. Bom, mas ainda hoje temos uma amizade legal e sempre bom saber perdoar e deixar o passado lá, no passado.

    Espero que um dia as pessoas sejam mais verdadeiras e busquem resolverem as coisas. Já escrive um jornal rsrs

    Beijos
    www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  7. Ai, você não está sozinha! Fora a questão dos namoros, que eu super concordo também (as pessoas estão ficando tão intolerantes!) tem essa de sair. Quando eu era criança o divertimento era reunir os amiguinhos na casa de alguém, e o máximo de extravagancia que tinha era o suco de limão e o bolo que os pais do dono da casa faziam. A gente se reunia pra brincar, pra conversar e nem via o tempo passando.
    É complicado, pq tem amigos que você ama muuuuuuuito mas que são muito complicados, já que só dá pra ver eles nos rolês, esses que tem sempre "algo pra fazer". Beber, ir ao shopping, a um show, comer comida japonesa, sei lá. Mas sair pra conversar, tocar um violão despreocupadamente sem ter que pensar que vai gastar o dinheiro que usaria pra talvez pagar uma conta, isso é difícil ver pessoas que fazem.
    Não digo que as saídas com programa são ruins. Pelo contrário, são muuuuito boas. O problema é que só elas estão sendo válidas :(
    E outra coisa que me irrita DEMAIS é quando saio com alguém, tento conversar com a pessoa e ela fica no celular. Poxa vida, né? auahauhauau
    Beijos, Amanda!
    Expresso de Nárnia

    ResponderExcluir
  8. Olá!!

    Na época da minha mãe eles fachavam a rua e ficavam conversando ou dançando. Realmente vivemos em uma sociedade consumista onde para se ver tem que ser para consumir ou ir em alguma festa onde nos sentimos obrigados em colaborar com alguma coisa...
    Eu particularmente sou preguiçosa e ando muito cansada do trabalho então acabo evitando sair para poder ficar descansando o que eu sei que não é bom, mas é o meu jeito. Nunca fui de sair, ou de ficar até tarde na rua, não gosto muito...
    Sobre os relacionamentos, eu acho que tudo merece dialogo, uma coisa que eu aprendi é não ir dormir chateada com algo, se te encomoda, conversa, é sempre melhor e evita. E quando um dos lados não está satisfeito o melhor é realmente seguir em frente, insistir no que não funciona por comodismo não vale a pena.

    Boa reflexão ;)


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  9. Nossa Ra... ontem mesmo eu estava comentando isso com uma amiga.

    Os relacionamentos de hoje não duram... aliás, mal começam. Antigamente os casais brigavam também mas tinham força de vontade pra fazer ficar tudo bem e assim iam levando.

    Atualmente os casais se separam na primeira dificuldade. É triste.

    Beijo.

    | O Blog Que Não é Blog |

    | Sorteios Na Web |

    ResponderExcluir
  10. concordo muito com o que vc escreveu e tenho feito mt esse tipo de reflexao tbm... parece que anda cada vez mais dificil se relacionar com outra pessoa

    www.tofucolorido.blogspot.com
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  11. Eu gosto de reunir as pessoas e jogar jogos de tabuleiro ou ver filme na casa de alguém, são atividades legais e que só precisamos nos organizar pra fazer, sem gastar quase nada. O texto ficou bem legal, li ele sentindo que a gente estava tendo uma conversa :)


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
  12. eu e meu namorado tentamos ser mt amigos para que nossa relacionamento dure mt.
    estou te seguindo!
    beijão,
    www.renatacaparroz.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Raíssa,
    Eu acho que ultimamente os relacionamentos estão cada vez mais superficiais. E podemos culpar redes sociais, tecnologia, modernidade, mas a culpa é de nós mesmos.
    Não sei se sair pra conversar, ou se divertir entre amigos seria a melhor opção... pois isso acontece bastante, e em muitos casos, ainda não surge efeito algum, são sensações momentâneas.
    Talvez a solução seja a combinação entre diálogo e sinceridade... partindo disso, o ambiente não importa.

    Um abraço,
    http://entreserieselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo joia?
    Super concordo com o seu ponto de vista, é realmente assustador como as pessoas terminam um relacionamento e logo já estão em outro, muitos acabam fazendo tais coisas por aparência.

    Beijos
    intoxicadosporlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oie Raíssa =)

    As vezes me pego comparando a minha geração, anos 90 com a geração de hoje e percebo que antigamente tudo era mais simples.
    A tecnologia ajudou muito, mas em alguns casos penso que tudo se tornou um pouco banal e superficial demais...
    Ainda gosto de muita coisa a moda antiga rs...

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  16. Oi Raissa, tudo bem ???
    Flor você não é a única que pensa assim.
    As vezes eu me pego pensando se antigamente as coisas não eram mais fáceis, embora naquela época (talvez na época dos nossos pais) não tivesse internet, todos esses aparelhos e essa tecnologia que temos hoje, ainda assim acredito que as coisas eram um pouco mais fáceis. As pessoas pensavam diferente, agiam diferente. As vezes eu sinto que até os princípios mudaram, hoje muita gente só quer festa, não quer nada sério, como você disse, os namoros terminam muito rápido, e até mesmo algumas amizades se vão de uma maneira tão rápida.
    Sei que muita gente acha brega, mas eu acho lindo e vejo importância naqueles relatos dos mais velhos, quando eles comentam que na época deles para pegar na mão da moça levava seis meses, porque as coisas eram diferentes. Acho que se as pessoas parassem para pensar, analisar e tivessem bons exemplos, quem sabe as coisas não mudassem um pouquinho ...
    Mas as vezes parece que estamos num caminho sem volta e isso me assusta ... Se hoje estamos assim, imagine daqui a 10 anos ???

    Adorei o seu texto flor, levantou um tópico muito legal para discussão !!! :D

    Beijinhos
    Hear the Bells

    ResponderExcluir
  17. Raíssa-linda,
    Eu sou séria… Sei disso, mas sempre procurei ter valores que me permitissem não fazer tempestades em copo d'água. Valorizo muito mais as pessoas do que as coisas. Isso me permitiu construir boas lembranças com as pessoas que me são queridas. Amadureci cedo, no entanto… Não vivi o que os adolescentes de hoje vivem. Comecei a trabalhar aos 14 anos. Ganhada 200 reais (o que hoje não é nada) e dava metade do dinheiro para a minha mãe. Desde então, nunca parei de trabalhar – é sério, flor, nunca fiquei desempregada. Não sei o que é curtir feriados prolongados na praia, porque meus feriados não eram emendados. Quando tinha 15/16 anos, vendia minhas férias, sabe? Eu tinha muitas metas. Isso para dizer que ter uma tarde descontraída no parque não me era possível… Não fez parte dos meus dias experiências leves assim. Eu comecei a sair para me divertir quando já era adulta. E as coisas que atraem os jovens não me atraíam. Não tenho orgulho disso, mas também não me envergonho. Aos 25 anos, já era formada, pós-graduada e ocupava um cargo de chefia onde trabalho. Hoje, aos 27, tenho duas especializações. Nesse ano, estou cursando inglês. Sei que não vou parar. Nunca pararia. Isso se tornou parte de mim. Mas hoje tenho aprendido cada vez mais a rever minha necessidade de construir uma "carreira sólida". Será que preciso mesmo me doar tanto? Ou posso apenas me doar "o necessário"? Hoje penso que quero algo de mim para outras atividades. Quero não estar cansada ao fim do dia, como se tivesse corrido uma maratona.

    Beijos, flor!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Concordo com você Raissa! Com certeza as coisas antigamente eram mais fáceis, mas hoje com a "modernidade" e toda essa onda maluca da internet e da globalização, as pessoas sentem que se proteger atrás da uma tela de computador ou celular é mais fácil e quando saem, como você disse, precisa haver algo a mais do que somente a conversa envolvida pra lhes chamar a atenção. O ponto é que acho que estamos em uma época onde todos são muito conformistas, as coisas não estão boas, mas eu não foi sair, me mexer, me mobilizar pra mudar sabe?! Isso reflete no exemplo que você usou dos relacionamentos. Ou terminam apenas por falta de vontade, de se esforçar ou muitas vezes ficam presos por anos em um relacionamentos em que se sentem insatisfeitos!
    Enfim, continue escrevendo, seus questionamentos são sempre ótimos e válidos!
    Beijoos
    Debora.
    http://vanille-vie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Obrigada por me visitar!
Beijos.

contatoooldr@outlook.com

Canal

Canal
Se inscreva!

Facebook

Estou lendo

Estou lendo
A Maldição do Tigre